terça-feira, 4 de dezembro de 2012

GERIR INFORMAÇÃO RELEVANTE

O portal Lifecooler é o guia da boa vida de consulta obrigatória e é um exemplo de como gerir informação relevante.

domingo, 11 de novembro de 2012

IN MEMORIAM: FRANCISCO RODRIGUES PORTO

No desempenho das suas funções de construção, conservação, manutenção e remodelação de edifícios, os técnicos da DGEMN tinham o privilégio de conhecer inúmeras entidades públicas e os seus dirigentes.
Muitos recordam-se seguramente de um homem que sempre defendeu os funcionários públicos, a sua dedicação e o seu espírito de missão. Ele, próprio, funcionário publico de carreira ligado à segurança social, e figura prestigiada da Administração Pública, desempenhou altos cargos dirigentes, tendo sido director-geral da ADSE, presidente da Comissão Instaladora do Centro Regional da Segurança Social de Lisboa, administrador delegado do Hospital de Santa Maria e Director-Geral das Contribuições e Impostos. Deste último cargo viria a apresentar o seu pedido de demissão a Eduardo Catroga, em Março de 1994, na sequência da célebre penhora dos balneários do estádio das Antas, por dívidas ao fisco.
Referimo-nos a Francisco Rodrigues Porto, falecido há precisamente dois anos, aos 76 anos, no lar de idosos Almirante em Lisboa e cuja morte passou despercebida a toda a comunicação social. Este silêncio é sobretudo impressionante para uma figura pública que, para além dos altos cargos que exerceu no Estado,  desempenhou altos cargos no PSD*, tendo pertencido ao Conselho Nacional (eleito no XII Congresso da Figueira da Foz, em 1985) e ao Conselho Jurisdicional Nacional (eleito no XIII Congresso de Lisboa, em 1986),
Francisco Rodrigues Porto - cuja assinatura ainda consta de muitos dos nossos cartões de contribuinte e de muitas circulares normativas do Fisco -,  é, ainda, autor do livro "Segurança Social Administração Pública" sobre a evolução e o regime de segurança social dos funcionários públicos.

___________________
(*)Foi dirigente da secção dos Olivais e apoiante indefectível de Cavaco Silva.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

COMEMORAÇÕES COM A BANDEIRA INVERTIDA

Comemorações sem povo e fora do local habitual, são a síntese das cerimónias oficiais deste feriado de 5 de Outubro, que tem os dias contados.
As cerimónias iniciaram-se com a bandeira nacional a flutuar ao contrário na fachada principal da Câmara Municipal de Lisboa. A seguir, no Pátio da Galé, um grupo reduzido de políticos (convidados) ouviu os discursos do Presidente da Câmara Municipal de Lisboa e do Presidente da República, que foram transmitidos em directo pela televisão.
No fim do discurso do PR uma cidadã que conseguiu entrar no local, manifestou o seu desepero e protestou contra as medidas de austeridade, originando um burburinho que surpreendeu os engravatados presentes. Também, na mesma altura, a cantora lírica Ana Maria Pinto cantou a "Firmeza" de Lopes Graça, com tanta naturalidade, que muita gente pensou tratar-se de uma intervenção incluída no programa.
Notada a ausência de Passos Coelho (ausente no estrangeiro) e de Vítor Gaspar (a modelar as folhas de excel do orçamento). Também Mário Soares não compareceu nas cerimónias oficiais e, como o 5 de Outubro já não é o que era, vai comemorar num jantar popular, logo às 19:30, em Alenquer.

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

UM COELHO DE VERDADE

Depois de ter visto Passos Coelho em entrevista à RTP, não perca tempo a ver os comentadores políticos a decifrarem o discurso do PM. Desligue a TV e descontraia-se a ver "Um coelho de Verdade" da Turma da Mônica. Lembre-se que o stress faz mal à saúde.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

O RESGATE DO TERREIRO DO PAÇO

O acompanhamento e a gestão da conservação do conjunto monumental do Terreiro do Paço esteve, de 30 de Abril de 1929, até à sua extinção, em 27 de Agosto 2007, a cargo da Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais (DGEMN). Fazia sentido que fosse um único organismo - também sediado na Praça do Comércio - a coordenar a manutenção de um espaço emblemático da cidade e do País, ocupado por várias entidades, principalmente ministérios e gabinetes de ministros, que celebrizaram o Terreiro do Paço como símbolo do poder.
Com a morte da DGEMN, que prestava um serviço público não remunerado, sucederam-lhe vários organismos (IGESPAR, DRCLVT e IHRU) e empresas públicas deficitárias (Frente Tejo, Parque Expo...) a pretenderem substituir a nossa Direcção-Geral, através de um serviço remunerado, altamente oneroso do bolso do contribuinte, sem história, sem experiência em reabilitação  e sem qualidade. Substituir um organismo por várias entidades   - que por serem várias têm dificuldade em coordenar e centralizar -, bem mais caras e que prestam um serviço bem pior, constitui um caso cada vez mais paradigmático da má gestão do País. Porque não se aplica o princípio da melhoria incontestável ? Nem sempre compensa mudar.
Na véspera do 10 de Junho, foi inaugurada mais uma fase da nova imagem da Ala Oriental (agora baptizada de "Nascente" a condizer)  como espaço de lazer ao nível do claustro, com esplanadas, restaurantes, cafés, uma discoteca, um museu e a florista, que deixou de pagar renda a um empreiteiro pela guarda das flores e, passou a pagar à Câmara de Lisboa.  «Era um local que não rendia um cêntimo sequer e agora vai gerar uma riqueza de 1,8 milhões, só em rendas, além do lucro conseguido por casa estabelecimento», diria, na oportunidade, António Costa, imbuído do espírito comercial com que a crise tem inspirado os nossos autarcas.
De resto, foi no âmbito dessa proclamada inspiração, que ontem tivemos - em mais um evento comercial dos supermercados Continente -, o campo na Praça do Comércio,  com árvores, porcos, galinhas e perús, a invadir a cidade. Para quem não tivesse notado, fica demonstrado que a crise despromoveu definitivamente o Terreiro do Paço e que o poder já há muito se mudou para Bruxelas. Os vestígios que restam não passam de simples encenação.

Ligações:Agora é que a Ala Nascente vai mesmo nascer (Veja como vai ficar a Ala Oriental); Terreiro do Paço tem novo espaço de lazer; Ala Nascente - Terreiro do Paço (Turismo de Portugal).

segunda-feira, 21 de maio de 2012

ROBIN GIBB DEIXOU-NOS

Robin Gibb, vocalista e um dos fundadores dos Bee Gees, morreu no domingo à noite, aos 62 anos, em Londres, vítima de cancro. Recordemo-lo em Massachussets.

segunda-feira, 7 de maio de 2012

GRÉCIA: O TRIBUTO À AUTORIDADE

Os resultados das eleições gregas confirmam uma forte quebra dos partidos do centro (subscritores do acordo com a troika) e o triunfo das forças que, à esquerda e à direita, se opõem ao memorando de entendimento. A Nova Democracia (Νέα Δημοκρατία) e o Pasok (ΠΑ.ΣΟ.Κ) sofreram pesadas perdas e, nem coligados, podem agora fazer uma maioria absoluta. A coligação Syriza (ΣΥΡΙΖΑ) , de esquerda radical e anti-austeridade imposta pelo estrangeiro, é a segunda força política da Grécia. A fragmentação de votos pelas várias forças políticas fazem prever grandes dificuldades na formação de um governo de unidade nacional.
O partido de extrema direita Aurora Dourada (Χρυσή Αυγή) obteve 21 lugares no Parlamento grego (Βουλή των Ελλήνων). No vídeo, vê-se o momento em que, quando o líder entra na sala de imprensa, os jornalistas são obrigados a levantar-se.
Ligações: Resultados das Eleições Legislativas 2012 (Ministério do Interior grego); Χρυσή Αυγή: κράτος και παρακράτος.

domingo, 29 de abril de 2012

MIGUEL: CONFERIR NOBREZA À POLÍTICA

Mesmo depois de morto, Miguel Portas é um exemplo. Conseguiu juntar no mesmo local pessoas de todos os quadrantes políticos e partidários. Afinal, o respeito pela diferença e lutar pelas ideias até ao fim sempre, sempre foram lemas da sua vida pessoal e política.
   

domingo, 15 de abril de 2012

PRESO EX-MINISTRO GREGO ENVOLVIDO NOS SUBMARINOS

Akis Tsochatzopoulos (ακης τσοχατζοπουλος), ex-ministro da Defesa de 1999 a 2002 e figura de peso da política grega, responsável nomeadamente pela aquisição de submarinos à Ferrostaal, foi preso acusado de ter recebido milhões de euros através de off-shores, segundo noticiou o jornal Kathimerini (H KAΘHMEPINH) .
O Ministério Público grego detectou depósitos em vários bancos europeus, no valor de mais de 13 milhões de euros, e descobriu que o ex-ministro grego do PASOK usava pessoas da sua confiança para gerir as off-shores e esconder o dinheiro.

Ligações: «Οικογενειακή» υπόθεση οι offshore; Προθεσμία για τη Δευτέρα πήρε ο Ακης Τσοχατζόπουλος.

sábado, 17 de março de 2012

INDÍCIOS DE CRIME NA PARQUE ESCOLAR

O Tribunal de Contas encontrou indícios de crime na Parque Escolar. Esta informação chegou ao Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa, que abriu um inquérito-crime por suspeita de gestão danosa na empresa pública responsável pelo programa de requalificação das escolas secundárias do país.
A investigação começou há dois meses e está numa fase preliminar, não havendo ainda arguidos. Os procuradores da 9ª Secção do DIAP, especializada na investigação do crime económico, vão ter de perceber  se a derrapagem no investimento - as intervenções realizadas em em 181 escolas já custaram €2,4 mil milhões, tanto quanto o orçamento previsto em 2008 pela própria Parque Escolar para um total de 332 escolas - resulta ou não de ilegalidades. A Inspecção-Geral das Finanças não as encontrou.
A Auditoria do Tribunal de Contas (TC), dirigida pelo juiz conselheiro Mira Crespo, começou há dois anos e está neste momento em fase de contraditório. O relatório preliminar está pronto e a Parque Escolar já foi chamada para justificar as eventuais irregularidades e desvios detetados. (...)

(In edição de hoje, do semanário Expresso

terça-feira, 6 de março de 2012

GERIR INFORMAÇÃO RELEVANTE

Paulo Parreira, CEO da Sítios, SA, explica como gerir informação relevante.

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

MAGISTRADA CONDENADA POR INFRINGIR CÓDIGO DA ESTRADA

Há cerca de um ano, uma magistrada do Ministério Público foi apanhada em Cascais, pela Polícia Municipal, a conduzir em contramão e com 3,8 gramas de alcool por litro de sangue (seis vezes acima do limite legal).
Entretanto, os processos do caso BPN continuam impunes (MP). Pelos vistos, é mais fácil apanhar um magistrado com um copo a mais.